Bates Motel

Bates Motel
Série da A&E inspirada no livro de Robert Bloch e no filme de Alfred Hitchcock. O plot é simples, o que aconteceu antes de Norman se tornar “psicótico”. Na verdade, é um tanto audacioso pensar “vamos pegar esse personagem que todos já conhecem e contar mais sobre ele!”Mais que um suspense, é uma série de ação. Os roteiristas dividem-se entre mergulhar na consciência de Norman e explorar os conflitos maternos e ainda criar novas situações de suspense para atrair espectadores. Esse é um dos grandes desafios, satisfazer a nostalgia dos fanáticos pela história original e também cativar outro público que não assistiu o filme e acompanha a série. Na época do lançamento estava empolgado e desconfiado, acredito que muitos fãs do “legado” do filme original desconfiam no que diz respeito as adaptações do seriado para a televisão. Então vamos falar de Bates Motel…

Continue Reading…

I love Lucy (1951-1957)

I love Lucy (1951-1957)

Lucille Ball, ao lado de Betty White, deve ser a comediante de televisão mais famosa dos Estados Unidos. Não é a toa, I love Lucy foi o primeiro sitcom ever da televisão, definindo todo esse gênero de programa. Mesmo após seu fim, em 1956, Lucy e seus cabelos ruivos continuaram famosos, e a moça trabalhou até o ano de sua morte, em 1989.

 

A ruiva de Rhode Island tem méritos não por apenas ter criado o primeiro sitcom com seu marido, Desi Arnaz, mas por ser a primeira mulher do ramo. E vocês sabem como nos queridos anos 50 a coisa não era fácil se você resolvia não ser dona de casa. Ser atriz nessa época era um calvário, uma vez que a profissão era relacionada à mulheres indecentes. Somente por essa razão, Ball é uma heroína para mim. Vocês imaginem o que era fazer parte da produção de um programa/sociedade/mundo dominado pelos homens. É difícil imaginar, mas Lucille com seu temperamento classificado por muitos como difícil conseguiu se firmar nesse métier, o que acho que deixou muitos com medo.

Continue Reading…

Além da imaginação (1959-1964)

Além da imaginação (1959-1964)

 

Quando o canal Universal ainda se chamava USA, os sábados à noite eram dias sagrados para mim. Eu era criança, talvez tivesse uns seis ou sete anos, mas a imagem de uma garotinha loira e sua madrinha deitadas no sofá cor de vinho de um antigo apartamento assistindo Além da imaginação permanece como uma das melhores lembranças da minha infância. Consigo lembrar o medo que sentia quando a famosa música de abertura começava e aquelas sequências de imagens, quase inspiradas no sonho de James Stuart em Um corpo que cai, invadiam a tela. Os anos se passaram, mas Além da imaginação permanece cultuado por fãs de todas as idades e é considerado um dos precursores dos programas/seriados do gênero ficção científica, suspense e terror.

 

Continue Reading…

Os 28 anos do episódio piloto de The Golden Girls

Os 28 anos do episódio piloto de The Golden Girls

Há 28 anos atrás ia ao ar o piloto de uma das séries mais amadas e célebres dos anos 80: The Golden Girls. Talvez a sua mãe se lembre, ela foi transmitida no Brasil com o nome de As supergatas. Como tradutora depressiva – daquelas que adora analisar tudo que envolve o assunto – confesso que a tradução não dá bem conta do título. Mas quem se importa? The Golden Girls ultrapassa qualquer tradução, mal feita ou não. Aliás, na França, a série se chama Les craquantes, algo como “As rabugentas”.

The Golden Girls conta a história de quatro mulheres vivendo juntas em Miami, na Flórida. O plot é aparentemente simples se não contasse com um único detalhe: as protagonistas estavam na casa dos 50 anos. Tenho certeza que quando Susan Harris, a criadora da série, apresentou o piloto à NBC [emissora que o exibiu], as reações não foram lá muito receptivas. Ninguém sabia no que podia dar. Ou seria um sucesso ou um fracasso. Em tempos de Dinastia, de Joan Collins e seu rosto de cera, uma série com mulheres acima dos 50 e que pareciam ter essa idade era arriscado. Se você olhasse para a grade da televisão dessa época, perguntar-se-ia: o que essa série está fazendo aí? São raros os momentos em que existe uma ruptura que proporciona a criação de algo grandioso, que mudará para sempre a visão sobre algo. I love Lucy foi uma dessas quebras da televisão americana dos anos 50. Golden foi, para mim, a grande quebra das regras da televisão americana dos anos 80.
 

Continue Reading…

                                    
Encontre-nos no Facebook
Filmes por Ator:
                                                                                                                       
Filmes por Atriz:
                                                                                                                       
Filmes por Diretor: