Até os Fortes Vacilam (1960)

Até os Fortes Vacilam (1960)

 

Palavras não bastam para definir o que sentimos ao encontrar esse filme, protagonizado por Anthony Perkins e a estreante Jane Fonda em 1960. “Tall Story” é aquele projeto que tinha tudo pra dar certo, mas… não deu. Antes de Norman Bates, Perkins interpretou diversos “mocinhos” em filmes românticos (entre eles, as pérolas “Desire Under the Elms” em parceria com Sophia Loren e “Green Mansions” em que era o mozão de Audrey Hepburn). Jane Fonda fazia trabalhos como modelo, enquanto estudava os últimos “métodos” de atuação com Lee Strasberg. A curiosidade a cerca de sua estréia era assunto de diversas colunas em revistas de cinema.

Quem liga para as críticas, quando se pode testemunhar Tony Perkins jogando basquete e a jovem cheerleader Jane Fonda? “Tall Story” é a típica trama sessão da tarde, e como assisti sem pretensão, pude me divertir um bocado! Vamos por partes: o filme dirigido por Joshua Logan é uma farofa comédia que faz uma crítica social bem humorada, sobre estudantes que aproveitavam a rotina universitária para arrumarem um casamento. Claro que, infelizmente, é a personagem de Jane Fonda que vê a faculdade como um mero instrumento para alcançar o sonho de se casar (num período em que a chegada das mulheres na universidade estava a todo vapor).

Tall Story (Até os Fortes Vacilam, no Brasil) foi lançado em 6 de abril, poucos meses antes da estréia de Psicose. Seria a última vez que a América receberia Perkins com os mesmos olhos.

tallstory2Ray Blent (Anthony Perkins) se destaca na universidade, já que, além de tirar boas notas, é um dos melhores jogadores no time de basquete. A universidade Custer é uma das mais respeitadas da Costa Oeste e prestigiada pelo brilhante time The Russians, formado por alunos que venceram diversos adversários de outras escolas. June Bride (Jane Fonda) que se matricula em Custer afim de se casar, escolheu a instituição por causa do time de basquete, já que é “bastante alta para uma garota” (explicando aí, o título original do filme Tall Story). June é uma fã fervorosa de Blent, se torna líder de torcida e passa a cursar as mesmas disciplinas que o rapaz ingênuo, que passa a admirar o “empenho” da colega em aprender o máximo possível.

A aproximação de Ray e June acontece aos poucos, sem que ele perceba suas óbvias intenções, e olha que ela chega a entrar no vestiário masculino para lhe entregar uma camiseta – bem sutil! Ao conversarem sozinhos, surge uma sugestiva discussão de química e Blent finalmente começa a sucumbir aos encantos da jovem cheerleader.

tallstoryneck

É verdade que poucos atores poderiam ser tão desajeitados quanto Perkins em uma comédia romântica, mas no tocante a ingenuidade do personagem, ele se sai muito bem! Tony interpreta um aluno extremamente popular e seu sorriso enquanto carregado pela equipe de basquete parece tão desconfortável quanto o de Norman Bates (o papel não poderia ser mais oposto, já que Tony detestava a vida na fraternidade onde estudava).

tallstory4 Trocadilhos e diálogos de duplo sentido rolam soltos, principalmente na cena em que os pombinhos saem pra dar um rolê tarde da noite e batem na porta de um casal universitário que vive em um trailer. Jane observa que eles “devem estar estudando” e durante toda a visita fica claro que estavam interrompendo alguma coisa… os amigos esperam vender o trailer para um jovem casal e surge então o interesse de Ray e June. Enquanto conhecem as acomodações do trailer, os personagens de Perkins e Fonda ficam pressionados na porta que dá acesso ao quarto e o proprietário do veículo comenta que essas coisas acontecem e que se souberem aproveitar, o pouco espaço “could be a lot of fun!”  A sequência só melhora quando o anfitrião convida o casal para entrar no minúsculo box do chuveiro e admite que o lugar é pequeno“mas é bem melhor que o banco de trás do carro”. SOCORRO galera, acho que os tios do código Hays deviam estar roncando nessa hora.

Durante as filmagens do primeiro beijo mais “íntimo”, Anthony Perkins pediu a autorização de Joshua Logan para orientar a estreante Fonda em particular, se responsabilizando pela direção, o diretor obviamente poderia alterar qualquer coisa que não gostasse. Impressionado com o estusiasmo de Tony, Logan concordou. Quando lançou suas memórias em 1978, o cineasta revela que “Eles trabalharam duro e devotamente nas cenas mais íntimas e apesar das pausas desconfortáveis, parecia atraente. Filmei aquele take como um ensaio. Infelizmente, a cena editada para o filme ficou um pouco longa e acho que isso ofuscou o charme do casal na tela.” Na época do lançamento, Perkins admitiu em uma entrevista publicitária que “algumas cenas íntimas poderiam ser mais calorosas” e completou “não precisei atuar quando beijei Jane pela primeira vez… eu não poderia beijar convincentemente uma garota, se não gostasse dela.”

janefondacheerleaderL.U.V. JANE FONDA! Y.O.U. YOU WANNA?

O filme de Joshua Logan é baseado no livro “The Homecoming Game” de Howard Nemerov e serviu de base para a peça “Tall Story”, que fez sucesso na Broadway. O diretor pretendia utilizar a produção cinematográfica como veículo para Jane Fonda e o irmão de Shirley McLaine, Warren Beatty, que até então só tinha feito participações em alguns episódios de séries de TV. A Warner Brothers recusou, alegando que poderia apostar em um, mas não em dois desconhecidos. Logan, que era um velho amigo de Henry Fonda, decidiu então realizar seu filme com Jane e Anthony Perkins. Apesar de descrever a performance de Tony como “adorável”, anos mais tarde o diretor disse que se arrependeu de não ter insistido em Warren Beatty. “Tall Story” tem um orçamento modesto se comparado aos technicolor-ostentação lançados anteriormente por Logan, que incluem “Férias de Amor”, o vencedor do Oscar “Sayonara”, “Nunca Fui Santa” e o musical “Ao Sul do Pacífico”.

De acordo com Ray Walston (que interpreta o professor Sullivan no filme), a relação de Jane e Tony, que sempre tinham muito o que conversar nos bastidores, parecia muito mais “real” e interessante do que quando as câmeras estavam ligadas. Quando o filme foi finalmente lançado, os críticos não perdoaram. Um artigo da Time Magazine anunciava: “Nada poderia salvar esse filme, nem o estranho desempenho de Perkins e nem mesmo ainda a segunda geração da família Fonda com o sorriso do pai e as pernas de uma dançarina!”.

HenryandJanesmallMatéria da Life Magazine com Henry Fonda falando sobre a estréia
da filha Jane em “Tall Story”. Clique na imagem para ampliar.

Perkins estava LONGE de ser um par romântico satisfatório e, para mim, é exatamente isso que torna curioso assistir esse filme. Acho que Jane estava muito bem e o flop comercial nem foi culpa dela, viu? De qualquer forma, poucas coisas me divertiram tanto esse ano quanto Tony Perkins acertando todas as cestas e a líder de torcida Jane Fonda balançando seus pom-poms. Boa sessão aí, gente!

Curiosidades:

– Jane Fonda revelou em sua autobiografia “Minha Vida até Agora” publicada em 2005, que as filmagens de “Até os Fortes Vacilam” marcaram um dos momentos mais difíceis de sua vida. Apesar de sentir saudade da época em que estudava interpretação, quando chegou em Hollywood havia muitas pessoas afirmando que sua aparência precisava de melhorias. Jane que tinha apenas 22 anos, sofria de bulimia e voltou a ter sonambulismo, como na infância. No livro ela descreve: “Minha experiência em Tall Story acionou todos os meus botões de insegurança. Eu parecia estar indo bem. Amigos que estiveram comigo durante aquele período podem ficar chocados ao ler como eu estava me sentindo. Mas por outro lado eu sempre pareço estar bem. Eu sei me virar.”

tallstory5– Ray Walston disse em sua entrevista com Charles Winecroft (que escreveu a biografia Split Image: The Life of Anthony Perkins) que Tony tinha uma espécie de necessidade de tentar agradar Logan, sugerindo idéias de forma obstinada. Ele queria que o filme fosse o melhor possível, desde a pré-produção começou a fazer exercícios na academia da Warner, pesquisando sobre basquete, arremessando e correndo pela quadra uma hora e meia por dia. Porém, quando foi gravar a cena em que seu personagem deve arremessar a bola da metade do ginásio para fazer o último ponto heróico, Perkins errou em cada um dos cinco takes rodados pelo diretor e implorou para tentar outra vez antes que chamassem um dublê. Na última tentativa, Tony conseguiu acertar a bola vitoriosa na tomada que aparece no filme.

Revisão do texto: Pâmela Lima.

Escrito por Guilherme

Still tryin' to find my place in the sun.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

                                    
Encontre-nos no Facebook
Filmes por Ator:
                                                                                                                       
Filmes por Atriz:
                                                                                                                       
Filmes por Diretor: