Curiosidades e histórias do Oscar – Parte 1

Curiosidades e histórias do Oscar – Parte 1

Uma das épocas favoritas do ano dos cinéfilos está chegando. Sim! O Oscar tá logo aí, e enquanto corremos para ir assistindo os indicados na medida do possível, é bacana também relembrar um pouco da história da premiação. Afinal, o que não faltam são momentos inusitados, emoção, barracos e polêmicas na história da famosa premiação da Academia, alguns já bem esmiuçados por nós aqui no Cine, na retrospectiva do Oscar que fizemos no ano passado.

Por isso, nada melhor do que listar alguns momentos da célebre cerimônia ao longo dos anos.

– Em 1953, uma surpresa dos tempos modernos: a primeira cerimônia televisionada do Oscar. Bob Hope não perdoou: “Televisão… para onde os filmes vão quando morrem“.

– Em 1976, William Holden teve a chance de ganhar o seu segundo Oscar, pela atuação em Rede de intrigas. No entanto, a Academia daria naquele ano o seu primeiro Oscar póstumo em uma das categorias principais; o prêmio foi para Peter Finch, que estava no mesmo filme. O comentário de Holden? “Se o filho da puta não tivesse morrido, eu poderia ter ganho meu segundo Oscar”, diria o ator, tempos depois, para o seu agente.

– No mesmo ano, Sylvester Stallone se surpreendeu com o prêmio para o filme cujo roteiro ele escreveu em três dias. Rocky, em uma vitória considerada polêmica para muitos, derrubou Taxi driver, levando o Oscar de melhor filme. Sly não queria subir ao palco, envergonhado, e foi praticamente arrastado pelos produtores Irwin Winkler e Robert Chartoff, que queriam dividir a glória com o ator. O prêmio deve ter tido um sabor todo especial para os dois produtores: ambos hipotecaram as próprias casas para poderem tornar Rocky realidade.

– Ainda em 1976, Louise Fletcher, a vencedora na categoria de melhor atriz por Um estranho no ninho, comoveu a audiência ao agradecer seus pais, ambos deficientes auditivos, utilizando a língua de sinais. “Obrigada por me ensinarem a ter um sonho. E hoje vocês estão vendo meu sonho se tornar realidade”, disse a atriz, visivelmente emocionada.

– Em 1978, climão: Vanessa Redgrave teve que ser escondida em uma ambulância para chegar até o auditório. O motivo era a sua posição pró-Palestina. Vanessa tocou no assunto durante o seu discurso de agradecimento, recebendo vaias e aplausos ao mesmo tempo.

– Em 1986, Geraldine Page levou o Oscar de melhor atriz pelo filme O Regresso para Bountiful. No entanto, quando seu nome foi anunciado, a atriz demorou a subir ao palco. Motivo: ela não conseguia encontrar seus sapatos.

– 1987 –  Paul Newman foi indicado na categoria melhor ator por sua atuação em A cor do dinheiro. No entanto, o ator não compareceu à cerimônia. “Eu já estive lá seis vezes e perdi. Talvez se eu ficar de fora, eu ganhe!“. Dito e feito. Pena que Paul perdeu de estar lá e receber seu prêmio das mãos de Bette Davis.

Gostou? Então fica por aqui, que logo tem mais histórias do Oscar!

Escrito por Camila

Formada em Letras e na Academia Douglas Sirk de sofrência e pregadora na Igreja Universal do Reino de Woody Allen. Uma professora de inglês apaixonada por musicais. Faz parte da Comissão de Avaliação, Seleção e Fiscalização, na área de Cinema e Vídeo, do Financiarte de Caxias do Sul.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

                                    
Encontre-nos no Facebook
Filmes por Ator:
                                                                                                                       
Filmes por Atriz:
                                                                                                                       
Filmes por Diretor: