Círculo do medo (1962)

Círculo do medo (1962)

A gente sabe que o ator é bom quando ele consegue com que você o odeie quando na verdade você o ama de paixão. A atuação de Robert Mitchum em Círculo do Medo é algo tão surreal, tão asqueroso e nojento que eu, uma fã ardorosa de seu trabalho, não consegui até agora me livrar da sensação de vê-lo nesse filme.

Se você é do tipo que acha que filmes de suspense ou terror da era de ouro de Hollywood não conseguem te envolver, Círculo do Medo chegou para acabar com suas convicções. Você vai sentir na pele a tensão dessa história envolvente sobre vingança.

Inspirado no livro The executioners, Círculo do medo conta a história de Sam Bowden (Gregory Peck), um advogado que leva uma vida pacata e normal ao lado da esposa e filha até o dia em que Max Cady (Robert Mitchum), um homem que Bowden ajudou a mandar para a cadeia após testemunhar contra ele, começa a persegui-lo para vingar-se dele.

O clima de tensão se esboça logo no primeiro encontro entre as duas personagens, quando Max quase enfia a cara dentro do carro de Bowden. Ali você já percebe que aquele cara é um louco, culpando o outro pelo crime. Spoiler (só que não): a coisa só piora. Aquele encontro do carro vai crescendo, como uma bola de neve, e as consequências serão imprevisíveis.

Cady começará um terror psicológico muito bem do bolado com a família de Bowden. É interessante notar que ele não faz nada, nesta primeira parte do filme, a sua presença é o suficiente para causar pânico na família de Sam. Em uma das melhores cenas do filme, a filha de Sam, Nancy (Lori Martin), está no carro esperando a mãe voltar das compras quando avista Cady. Ela sai enlouquecida do carro e entra para dentro da escola. Começa a correr, desesperada, enquanto vemos os passos leves de Robert Mitchum. O homem é de uma tranquilidade que contrasta com aquele desespero todo da cena. Quando consegue sair da escola, Nancy tromba em alguém. Adivinha? Max Cady! Quase perdi meu coração assistindo a essa cena.

robert-mitchum-cape-fear-1962
O suspense psicológico é muito bem trabalhado em Círculo do Medo e isso se deve às influências hitchcokianas do diretor, J.Lee Thompson. Ele havia trabalhado com Hitch na fase inglesa do diretor e conta no making-off do filme que sempre pensava em como Hitch faria. Por isso, um de seus métodos era fazer com que o público soubesse o que estava para acontecer e a personagem do filme não.

De longe o que mais choca em Círculo do Medo é a ousadia de seu roteiro. Picture it: 1962, comédias de Doris Day e Rock Hudson, o cinema começava a mudar timidamente. Então vem esse filme, chutando o pau da barraca, e mostrando estupro e sexualização de uma garota de 12 anos! Reza a lenda que a censura passou o rodo no filme, mas ainda sim o estupro e a sexualização estão bem visíveis. Em uma das cenas que mais chocaram foi a de Robert Mitchum observando Nancy e depois dizendo a Sam: “Um dia a sua filha irá ficar tão deliciosa quanto a sua mulher”. Doeu em mim. É asqueroso demais. Aliás, a personagem de Mitchum não podia ser mais asquerosa: estuprador e ainda por cima bate em mulher. Sim, temos a cena em que Max Cady surra uma mulher que foi para a cama com ele.

capefearA famosa cena em que Max Cady quebra ovos nos ombros de Peggy.

O filme foi produzido por Gregory Peck, que como muitos colegas na época, foi para esse lado do cinema. Ele chegou com o livro ao diretor e disse que seu papel não era exatamente o do protagonista. Eles queriam um ator durão como Max Cady e acabaram chegando a Robert Mitchum, que não poderia ter se encaixado melhor. Mitchum entrou tanto no papel que em uma cena com a esposa de Sam, Peggy (Polly Bergen), ele cortou a mão e continuou fazendo. Polly relembra que o sangue das mãos de Mitchum estavam nas suas costas e nas mãos dele. O ator parecida consumido por Max Cady.

Curiosidades:

  • Gregory achou que manter o nome do filme igual ao do livro não seria apropriado. Assim, ele decidiu por Cape Fear, nome de um rio, apontando com o dedo aleatoriamente para algum lugar no mapa dos EUA;
  • A cena em que Robert Mitchum quebra ovos nos ombros de Polly Bergen foi ideia do diretor. Ele pediu para que trouxessem uma caixinha de ovos ao set. Na hora da cena, Polly não estava esperando que Robert quebrasse os ovos nela e sua reação foi real;

 

Escrito por Jessica Bandeira

Estudante de história, tradutora e noveleira.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

                                    
Encontre-nos no Facebook
Filmes por Ator:
                                                                                                                       
Filmes por Atriz:
                                                                                                                       
Filmes por Diretor: