Carta de Uma Desconhecida (1948)

Carta de Uma Desconhecida (1948)
Quando você ler esta carta, eu já devo estar morta

Hoje seria aniversário da eterna Joan Fontaine e nada mais adequado do que comemorar revendo um de nossos filmes prediletos dela, um dos romances mais inesquecíveis de todos os tempos! O diretor Max Ophüls reafirma em “Letter from an unknown woman” sua característica atenção aos detalhes, a parte técnica de seus filmes revelam todo seu perfeccionismo… além de extrair o que Fontaine e Jourdan tinham de melhor.

Esse é um filme para marejar os olhos e se envolver com os personagens. Pegue um lencinho aí e prepare a sessão!

Stefan Brand (Louis Jourdan) é um músico de meia-idade frustrado e anestesiado pelo álcool. Numa certa noite, recebe a carta de Lisa Berndle (Joan Fontaine) e pensa se tratar de uma desconhecida, já que o nome não lhe parece representar muito. Conforme Stefan começa a ler, o pedaço de papel toma sua atenção. É então que surge o flashback, afim de desvendar o mistério sobre a mulher na carta.

Muitos anos antes, o jovem Sr. Brand é um pianista promissor que ao mudar-se para o apartamento ao lado de Lisa, costuma passar horas ensaiando seus números sem imaginar que tinha uma fiel “ouvinte” no quarto ao lado. No começo, ela pensava se tratar de alguém muito mais velho, mas quando descobre o sorriso acolhedor do rapaz, se torna irremediavelmente obcecada. Lisa se apaixonou à primeira vista, de tal forma que ninguém poderia questioná-la.

 

Quando a mãe de Lisa anuncia seu casamento com um cavalheiro de Linz, a jovem de somente dezoito anos recebe a notícia de que precisa se mudar. No último minuto, ainda na estação de trem decide voltar ao apartamento para ver Stefan mais uma vez. Após encontrá-lo com outra mulher decide partir definitivamente até o encontro de sua mãe e mudam-se para Áustria.

 

Me recuso a dar qualquer spoiler, então nossa sinopse vai só até aqui. Imaginei que o filme se tratava meramente de um amor platônico, mas surpreende em todos os sentidos. Uma história de amor e devoção, que supera o tempo! Max Ophüls conduz a narrativa cheia de nuances e sem apelar para outros artifícios, é como já ouvi alguém dizer: “A maior barreira desses personagens são eles mesmos”.

Curiosidades:

 

O filme lançado em abril de 1948 foi bem recebido pela crítica e um dos campeões de bilheteria daquele ano. É certamente o maior filme da fase americana de Max Ophüls!

 

“Carta de Uma Desconhecida” foi inspirado na obra de Howard Koch e se mantém fiel ao livro, com pequenas divergências. O conteúdo original tinha a sexualidade bastante implícita e sofreu alterações. O personagem de Stefan Brand ainda é descrito como mulherengo e chega a confundir Lisa com uma prostituta.

 

Nas últimas décadas, a obra de Ophüls tem cativado um número cada vez maior de admiradores, que incluem François Truffaut, Stanley Kubrick, Jacques Demy, entre tantos outros. Martin Scorsese também menciona “A Letter from an Unknown Woman” como um de seus filmes favoritos.

 

Bastidores:

Nos bastidores, Louis Jourdan repassa o roteiro com Joan Fontaine. Na direita,
a atriz recebe instruções do diretor.

Escrito por Guilherme

Still tryin' to find my place in the sun.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

                                    
Encontre-nos no Facebook
Filmes por Ator:
                                                                                                                       
Filmes por Atriz:
                                                                                                                       
Filmes por Diretor: